Passados todos estes anos,

Ainda assim …

Apetecia-me agarrar no telefone para lhe contar

Ouvir a sua voz

Ver a sua cara

Sentir o seu orgulho em mim

Porque sei que ia ouvir maravilhada

Cada pedaço desta aventura

Sei que ia acompanhar cada segundo

Passados todos estes anos,

Ainda assim…

Fico tantas vezes triste por não lhe ter dito adeus

Por não ter ido visita-la uma última vez

Por não saber que ia para longe de mim

Passados estes anos todos

Ainda assim

Às vezes sonho consigo

Connosco juntas sempre a rir

Na distância de idades que nos separa

Numa união que não tem explicação

Esta empatia que levo para a vida

Faz-me reflectir

Passados todos estes anos,

Ainda assim …

Está tão presente na minha memória

As nossas tardes, dias, conversas, gargalhadas

Fica cravado numa infância feliz

Fará parte da minha história

na memória de quem me ouvir falar

A tamanha importância que tem

Passados todos estes anos,

Ainda assim…

Sinto o cheiro dos ovos pela manhã

No luxo de pequenos almoços sem fim

Na mordomia que me fascinou

Nos jantares intermináveis onde me sentia rainha

Nos talheres de prata e na delicadeza com que mandava servir o meu chá

Era apenas uma criança

Cresci e também adolescente fui

Passados todos estes anos,

Ainda assim …

Tudo faria por mais uma tarde naquele quarto

Por abrir aquele roupeiro e voar consigo nas intermináveis festas por de trás de cada vestido

Por lhe pintar o cabelo e ouvir falar sobre mais uma e outra viagem

Por regar o jardim e dar comida aos passarinhos

Receber em conformidade a cada tarefa

Mas dar com toda a vontade a minha ajuda

Aprendi tanto consigo

Passados todos estes anos ,

Ainda assim …

Dar-lhe-ia todas as minhas gargalhadas

Arranjaria sempre tempo para a ver feliz

Para estar junto de si

Pode não ter sido a melhor mãe do mundo para os seus filhos e essa tristeza perdurará

Mas para mim foi a melhor tia

E sobrevive a cada dia

Em todos os meus passos

Onde ainda carrego os sacos e malas e a empurro na cadeira de rodas

Passados todos estes anos,

Ainda assim…

Está tão presente, tão real

que a vida me permita caminhar consigo

Sempre junto a mim

Na importância de uma memória viva

Ines 2019

Para a minha tia Luísa Saldanha

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s